Gillian Flynn e sua fascinante escrita sobre como nossa mente pode ser cruel

Gillian Flynn e sua fascinante escrita sobre como nossa mente pode ser cruel

Eu estou apaixonada. Antes meu amor era todo do Sidney Sheldon, A Ira dos Anjos vinha sendo o livro mais surpreendente da minha lista de leitura, porém, depois que li Garota Exemplar (já falei do livro e do filme, para ler só clicar aquitive que colocá-lo nessa lista e agora Objetos Cortantes também acaba de entrar nela, assim como Lugares Escuros que eu ainda nem li, mas vi o filme e sinto que será outra paixão surpreendente.

Gillian Flynn é maravilhosa no que faz. Recentemente terminei Objetos Cortantes e pela segunda vez eu fechei um livro da ex-jornalista com a sensação de “como pode a mulher ter pensado nessa fucking história?”. Meu preferido continua sendo Garota Exemplar (saudades Amy), mas o drama da personagem dessa história se tornou viciante a cada capítulo.

objetoscortantes (2)
Sou apaixonada pela capa desse livro ❤

Sinopse: Recém-saída de um hospital psiquiátrico, onde foi internada para tratar a tendência à automutilação que deixou seu corpo todo marcado, a repórter de um jornal sem prestígio em Chicago, Camille Preaker, tem um novo desafio pela frente. Frank Curry, o editor-chefe da publicação, pede que ela retorne à cidade onde nasceu para cobrir o caso de uma menina assassinada e outra misteriosamente desaparecida.

Camille Preaker é repórter em um jornal de Chicago e precisa voltar para sua cidade natal, Wind Gip, para cobrir um possível caso de assassino em série. Duas crianças foram encontradas mortas, em datas diferentes, com os dentes arrancados e estranguladas. Não se sabe se o assassino é da pequena cidade ou algum forasteiro, o caso parece ser impossível de solucionar, sem pontas soltas. Traçar um perfil está sendo uma dificuldade para a polícia, assim como concluir as matérias também está sendo uma dificuldade para Camille.

Nem sempre o lugar onde nascemos é para onde queremos voltar, ainda mais quando a família acaba sendo, e despertando, nossa pior parte. Encontrar seus familiares depois de tanto tentar fugir pode acabar destruindo as estruturas da jornalista, trazendo a tona medos que ela ainda tentava deixar para trás.

Uma história sobre como nossa mente pode nos tornar cruéis. Sobre como todos podemos ter, dentro de nós, um quê de escuridão. A trama irá te envolver do começo ao fim. É o tipo de livro que não acaba quando você acha que acaba. Gillian continua nos surpreendendo, essa mulher realmente entrou para minha lista de escritores preferidos, inclusive, já quero mais livros dela para ler ❤

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s