Trilha Sonora de Quinta | Pantera Negra

Trilha Sonora de Quinta | Pantera Negra

Pantera Negra já ultrapassou a marca de US$ 1 bilhão na bilheteria mundial. O filme tem lotado salas de cinema do mundo todo. Não é apenas um herói da Marvel que está fazendo todo esse sucesso, o filme simboliza toda uma representatividade que antes ainda não tinham alcançado. Com uma direção negra, trilha sonora negra e 90% do elenco negro, a história do rei de Wakanda é um símbolo para toda cultura africana que até antes não tinha ganhado nenhum reconhecimento nessa proporção.

Por três semanas seguidas a trilha sonora ficou em primeiro lugar no Billboard. Sem surpresa alguma, já que estou até agora também sem conseguir parar de ouvir. O responsável pela co-produção da trilha é o rapper Kendrick Lamar. No álbum temos faixas compostas por The Weeknd, SZA, 2 Chainz, Swae Lee, Vince Staples, James Blake e Travis Scott.

trilha sonora pantera negra
Foto: Divulgação/IMDb Montagem: Canva/Escritora de Quinta

Read more

Anúncios
Pauta de Quinta | O poder da representatividade

Pauta de Quinta | O poder da representatividade

Como disse Frances McDormand em seu discurso do Oscar: “Me levante se eu cair, porque eu tenho algumas coisas para dizer”!

Algumas pessoas já não aguentam mais ouvir sobre essa palavra, o que é um fato infeliz, já que estamos apenas começando a conhecê-la. Para quem ainda tem alguma dúvida ou não sabe, representatividade significa “qualidade de alguém, de um partido, de um grupo ou de um sindicato, cujo embasamento na população faz que ele possa exprimir-se verdadeiramente em seu nome”. Explicando melhor, é tudo aquilo que vem para representar algo.

Finalmente estamos em tempos onde cada um de nós está conseguindo receber esse presente. Sim, gosto de pensar que representatividade é um presente e entendo que existem olhares tortos e bocejos quando essa gigante palavra é pronunciada. Gigante porque ela representa um enorme passo para nós. Estamos em uma semana especial, dia 8 de março é comemorado o dia internacional da mulher e sim, meus queridos leitores de quinta, eu gostaria de escrever sobre isso e outras poucas coisas.

o que é representatividade

 

Read more

Veredicto de Quinta | Os indicados a Melhor Filme no Oscar

Veredicto de Quinta | Os indicados a Melhor Filme no Oscar

Domingo é a 90ª edição do Oscar, a maior premiação do cinema! Esse ano finalmente cumpri com um desafio que sempre fiz a mim mesma, mas que nunca conseguia colocar em prática: Assistir todos os indicados a categoria de Melhor Filme! Sinto uma pontinha de orgulho por ter conseguido assistir todos os longas, assim tenho maior clareza na hora da premiação e me sinto capaz de opinar (beijos, Glória Pires, a internet te ama e eu também!) ou pelo menos apta a escolher o meu favorito nessa edição.

Não posso falar pelas edições anteriores, porque nunca conseguia assistir todos os indicados, mas esse ano a categoria está bem diversificada, temos nela oito filmes com roteiros distintos. Sempre bom lembrar que o Melhor Filme do Oscar pode não ser o melhor filme para você e que as premiações existem, mas, como gosto de falar, o gosto continua particular e de cada um. Esteja preparado, caro leitor de quinta, para se decepcionar ou se apaixonar.

oscar 2018
Foto: Divulgação/Creative Commons

Read more

Vídeo

Pauta de Quinta | Sobre “a falta que a falta faz”

JoutJout gravou um vídeo sobre “a falta que a falta faz” e mais uma vez ultrapassou barreiras estando em destaque em diversos portais de notícias e redes sociais. A youtuber leu A Parte Que Falta, da Companhia das Letrinhas, e na mesma semana que o vídeo viralizou, o livro passou a ser o mais vendido da Amazon no Brasil. Isso é que o chamamos de poder de influência.

No vídeo, JoutJout lê a história, se emociona e ao fim nos mostra como um simples livro infantil pode acertar em cheio diversos corações já adultos, ou que pelo menos tentam ser adultos. Estamos todos lidando com a falta de algo. Estamos todos sempre precisando de algo. E perceber isso com simples traços ilustrando essa história que sempre falta algo foi arrebatador para muitas pessoas.

Se não falta amor, falta carinho, atenção, dinheiro, sucesso, um celular mais atual, aquele livro que acabou de lançar, um filme que ainda está no cinema, uma mensagem de alguma pessoa, uma viagem, um corpo mais magro ou gordo, um cabelo mais liso ou cacheado. Sempre falta algo. Nunca é o suficiente.

a falta que a falta faz jout jout
Foto: Reprodução/We Heart It

E desculpa usar essas duas palavras fortes para me expressar, mas é meio triste como as coisas realmente caminham para elas. Claro que existem as exceções e ainda bem que elas existem. Mas na maioria, em quase todos os caso, com praticamente todas as pessoas, alguma coisa sempre estará faltando.

Estamos todos sempre a procura de algo, seja para preencher esse vazio que não temos a mínima noção do que significa, seja para uma realização pessoal nessa jornada que chamamos de vida. Ser feliz por completo parece uma missão impossível. Então, eu te pergunto, o que falta para você alcançar a sua felicidade?

O que é que está faltando para você ser feliz por completo? Qual o motivo que te faz vacilar quando te perguntam se é feliz ou não? O que falta pra ti? É meio perturbador perceber que falta algo, acredito que sempre será um incômodo perceber a falta de alguma coisa, seja ela o que for. Mas o que podemos fazer, então?

Às vezes, o que nos falta nem é tão urgente assim. Às vezes, pode ser que sentir falta realmente é grande coisa e precisamos ser fortes para enfrentarmos esse sentimento. Só que muitas das vezes estamos nessa busca por algo que falta e esquecemos completamente do agora, do aqui, do exato momento em que estamos parados lendo esse texto, assistindo ao vídeo da JoutJout.

Sempre vai faltar algo. Vamos aceitar isso. Reconhecer isso. E ficar bem com isso. É redundante, eu sei, mas será mesmo que queremos passar por toda essa vida apenas a procura da parte que nos falta?

“não sei quanto a você, mas sempre falta um trocinho. às vezes falta muita coisa, às vezes só uma coisinha que parece um mundo de faltas. pra muitos falta o indispensável e aí o que falta pra você parece nada, mas é demais de onde você tá olhando. o negócio é que vai faltar, e depois não vai mais. depois vai faltar de novo e lutar contra a falta parece uma luta cansativa demais pra entrar. então que tal entender a falta, andar com ela, fazer de tudo pra preenchê-la, mas sabendo que ela volta. e que volte! porque saber que vai voltar é um belo de um carinho.”

Como a própria Júlia diz: Tá bem? Tá bem ❤

🖱 Siga as rede sociais de quinta e fique por dentro das novidades:

📸 Instagram: @escritoradequinta 
👍 Facebook: Escritora de Quinta
📌 Pinterest: Tati Santana

Dunkirk | A obra-prima de Christopher Nolan

Dunkirk | A obra-prima de Christopher Nolan

Com oito indicações ao Oscar 2018, incluindo de melhor filme e direção, gostaria de reafirmar o título dessa resenha: Dunkirk é a obra-prima de Christopher Nolan! Sou fã do diretor, principalmente pela trilogia do Batman e também por seu trabalho em A Origem e Interestelar. Estou até agora sem palavras para descrever o quão talentoso esse homem foi em escrever e dirigir esse longa. Para mim, um dos melhores filmes de guerra já produzidos.

critica filme dunkirk
Foto: Divulgação/IMDb

Eu sei que estou sendo pretensiosa, mas estou falando de uma produção sem falhas visualmente e sonoramente falando. Mesmo sendo narrada em um cenário completamente caótico que foi a Segunda Guerra Mundial, Dunkirk atingiu seu ápice em efeitos sonoros e visuais. Não consegui desgrudar os olhos da história que estava sendo contada, não consegui não me emocionar ao final quando as peças, aos poucos, começaram a se encaixar. Sabemos que o som de guerra não é algo tão difícil assim de fazer, mas o que Nolan conseguiu em Dunkirk é hipnotizante.

A trama é sobre o resgate de quase 400 mil homens que estavam presos em Dunquerque conforme a Alemanha avançava na Segunda Guerra Mundial. A força aérea e marítima estava sendo massacrada pelos nazistas, dificultando cada vez mais o resgaste dos homens que serviam não só a Inglaterra, mas também França, Holanda e Bélgica.

critica filme dunkirk
Foto: Divulgação/IMDb

São três histórias que acompanhamos. A praia, onde o forte de resgaste é constantemente atacado pelas tropas alemãs e milhares de soldados esperam por ajuda. O barco de passeio do civil que decidi honrar a causa e velejar até Dunquerque para salvar os soldados. O avião caça míssil que está em ataque e precisa abater os inimigos alemães antes que eles destruam mais navios. Isso com cada história sendo narrada em um tempo diferente e criando uma ligação uma com a outra aos passar das cenas. Pode parecer um pouco confuso, eu admito, mas Nolan consegue ligar esses três momento com maestria.

O elenco masculino é de peso e as atuações estão incríveis. Mesmo os personagens não sendo tão aprofundados, o filme desde o início deixa claro que seu ponto forte é a ação que cada um terá na história, não o que cada um é e foi antes da guerra. Tom Hardy é o piloto Farrier. Mark Rylance é Dawson, o dono do barco. Fionn Whitehead é Tommy, o jovem soldado que tenta voltar para casa.

critica dunkirk
Foto: Divulgação/IMDb

Alguns lados são expostos, quando a humanidade de cada um é colocada a prova em específicas situações, mostrando quão complexas as consequências da guerra podem ser para cada um que vivencia essa tragédia. Nolan consegue mostrar parte do desespero que deve ser estar na linha de frente de ataque, estando constantemente correndo o risco de ser bombardeado. Nem sempre existe honra na guerra e Dunkirk consegue expor esses dois lado da moeda com sutileza.

Encontrei pessoas comentando que o filme é mais do mesmo e que não tem nada de surpreendente. Quando leio algo do tipo sempre me pergunto se é possível que estejamos falando do mesmo longa. Mas não tem jeito, uma obra-prima sempre será vista como uma simples história por alguém e vice-versa. Posso ter escrito esse post como uma fã de carteirinha do diretor, mas gostaria, de verdade, que se você ainda não assistiu a esse filme, por favor, assista. Nunca se sabe quando uma produção será ou não grandiosa e Dunkirk merece a chance.

Assista ao trailer:

Todas as fotos usadas nesse post estão sob licença do site IMDb*

🖱 Siga as rede sociais de quinta e fique por dentro das novidades:

📸 Instagram: @escritoradequinta 
👍 Facebook: Escritora de Quinta
📌 Pinterest: Tati Santana

 

Stranger Things | Para matar a saudade de Mike, Dustin, Will e Lucas

Stranger Things | Para matar a saudade de Mike, Dustin, Will e Lucas

Esse ano de 2018 será estranho pois além de não termos a temporada final de Game of Thrones, também não teremos a terceira temporada de Stranger Things. Mas tudo bem, todos esperamos cerca de sete a nove meses para nascer, o que é esperar mais um ano pela próxima temporada, não é mesmo? Mas até lá, separei esses vídeos para matarmos a saudade!

O Lip Sync Battle (Batalha de Palco) é um programa americano apresentado por LL Cool J e Chrissy Teigen, transmitido pelo canal pago Spike TV, está no ar desde 2015 e já levou grandes estrelas do cinema, da televisão e da música em suas disputas, como Anne Hathaway, Justin Bieber, Channing Tatum e os meninos de Stranger Things!

elenco de stranger things em batalha de danças
Mike, Lucas e Dustin no Halloween da segunda temporada de Stranger Things (Foto: Divulgação/IMDb)

Read more

A Origem dos Guardiões e a magia em acreditar

A Origem dos Guardiões e a magia em acreditar

Eu sei, a gente cresce e descobre que Coelhinho da Páscoa não existe, Papai Noel foi invenção, fada dos dentes na verdade eram nossos pais colocando dinheiro enquanto dormíamos (isso quando só não mandavam a gente jogar o dentinho no telhado e esperar por uma aparição milagrosa), mas é tão importante acreditarmos! Hoje em dia as crianças crescem cada vez mais rápido, com um smartphone por perto fica difícil não perguntar ao Google se Papai Noel realmente existe. Mas, vou repetir, é importante acreditarmos!

“Você deixa de acreditar na lua quando o sol nasce?”

filme a origem dos guardioes
Sandman, Coelhão, Papai Noel, Fada do Dente e Jack Frost (Foto: Divulgação/IMDb)

Se não for nos guardiões que zelam pelas crianças, é em algo que temos em mente. Cada um, de um jeito ou de outro, tem sua fé, se não em seres e forças e bigbangs, cada um precisa ter fé e acreditar em si mesmo, na família, nos amigos, na própria vida que vive todo dia ao acordar pela manhã. Sinto que sempre existirá alguma coisa em que temos que acreditar e A Origem dos Guardiões mostra isso de todas as maneiras.

Jack Frost não acreditava e nem tinha fé em si mesmo. Depois de tantos anos, não fazia ideia de quem era, não lembrava de quem tinha sido em sua vida passada… Quantos de nós não esquece aquela pequena parte de si e acaba deixando de se reconhecer no espelho? Quantos de nós já perdeu a fé em si próprio e deixou de acreditar que era capaz de algo? Quantos de nós ainda está sem rumo? Sem saber o que fazer?

desenho a origem dos guardiões
Jack Frost é um dos meus personagens preferidos! (Foto: Divulgação/IMDb)

O Papai Noel, o Coelhão, a Fada do Dente, todos eles perdem seus poderes quando as crianças deixam de acreditar. Reflete muito como também perdemos nossos poderes quando somos desacreditados, seja pelas pessoas ou pela própria vida que não é fácil e vire e mexe gosta de provar isso. É sempre difícil quando não acreditam em nós.

“Deixa de acreditar no sol quando o céu está nublado?”

Sandman é o grande responsável pelos sonhos, ele que ilumina a noite com seus raios de luz. Em contra partida, Breu é o bicho papão, o temido monstro que fica mais forte conforme as crianças sentem medo. É uma dose de coragem quando cada pequeno decide encarar o Breu, admiti que ele existe, mas perde o medo dele. Nem preciso dizer que deveríamos admitir nossos medos, para assim, tentarmos superá-los, certo? Certo.

filme a origem dos guardiões
Um Papail Noel todo tatuade e um Coelho da Páscoa gigante é demais pra nossa imaginação ❤ (Foto: Divulgação/IMDb)

É uma maneira linda de enxergar as crianças, de mostrar a elas o quanto são importantes. Tenho muito medo em ver toda modernização que acontece hoje em dia, mas fico feliz por ainda existirem os desenhos, principalmente, esses parecidos com os guardiões. As crianças são tudo que temos para o futuro e mesmo não existindo Fada do Dente, Coelhão ou Jack Frost, somos nós os guardiões delas, somos nós, quem devemos protegê-las e ensiná-las de que o medo é algo que sempre teremos que vencer. E que nessa vida, faz bem acreditarmos em algo bom, em manter o coração com esperança, em pensar que no futuro todos nós seremos nossos próprios guardiões.

Sei que é sempre uma viagem quando coloco em palavras certos pensamentos meus. Mas espero que assistam A Origem dos Guardiões com outros olhos e façam seus filhos, primos, sobrinhos, enteados, enfim, suas crianças, se encantarem com essa mágica história. A magia pode não existir para nós, adultos e adolescentes, mas o encanto precisa ser preservado, existem tantas coisas mágicas nesse mundo que ainda devemos acreditar.

Assista ao trailer:

🖱 Siga as rede sociais de quinta e fique por dentro das novidades:

📸 Instagram: @escritoradequinta 
👍 Facebook: Escritora de Quinta
📌 Pinterest: Tati Santana

Galeria

Doguinhos da Pet Model Brasil fantasiados para alegrar seu carnaval

Se essa não é a Pauta de Quinta Especial mais fofa de todas, eu ainda não sei qual é! A Pet Model Brasil é uma agência de modelos pets, isso mesmo, agência de modelos PETS! Cachorros, gatos, pássaros, animais exóticos e de grande porte são modelos agenciados por eles. É como uma agência de modelos mesmo, as empresas e marcas entram em contato para contratar animais que possam posar em comerciais e peças publicitárias.

Você pode cadastrar seu Pet para ele fazer parte de alguma seleção e quem sabe virar um modelo. Já pensou? A agência funciona com planos que têm valores variados de acordo com o tempo. Para saber mais sobre é só acessar o site deles clicando aqui.

A Pets Model Brasil criou uma galeria especial com cachorros modelos para comemorar a chegada do carnaval! Com muito confete, serpentina e animação, a galeria de imagens teve cerca de 10 modelos que foram clicados pelo fotógrafo Lionel Falcon em cenários criados especialmente para a data.

Algumas das fantasias “rasgadas” nesse carnaval pelos doguinhos foram da Bela e a Fera, Batman, Rapunzel e até o Woody de Toy Story estava presente! Olha só que coisa mais fofa:

Alguns detalhes sobre a ficha técnica desse ensaio especial para a galeria de Carnaval: Fotógrafo: Lionel Falcon. Adestradores: Cris Araujo e Alexandre Costa (Smart Dog). Veterinária: Dra. Renata Coregliano. Produção Executiva: Giovanna Flaiban. Produção: Thais Amorim, André Vernieri, Sofia Ruete, Cecy Passos e Denise Neri. Direção de arte: Sofia Ruete. Realização: Pet Model Brasil

Todas as fotos utilizadas nesse post estão sob os direitos do fotógrafo Lionel Falcon*

🖱 Siga as rede sociais de quinta e fique por dentro das novidades:

📸 Instagram: @escritoradequinta 
👍 Facebook: Escritora de Quinta
📌 Pinterest: Tati Santana

Fora de Quinta | “Corra!” e a desconstrução do estereótipo do filme do Oscar

Fora de Quinta | “Corra!” e a desconstrução do estereótipo do filme do Oscar

Alô, alô, leitores de quinta! Vocês devem ter percebido algo de diferente nesse meu título, então irei explicar. “Fora de Quinta” serão posts com opiniões, críticas e resenhas de filmes, livros e séries, mas escritos por outra pessoa. Estarei cedendo um espaço aqui no Escritora de Quinta para divulgar bons textos que vocês também irão gostar de conhecer e ler. Ou não. Ou sim. Quem lê minhas resenhas sabe que as variáveis são muitas.

O texto abaixo foi escrito pelo cineasta Daniel Bydlowski para o Portal IG. Uma boa reflexão sobre os filmes indicados e vencedores do Oscar.

Lembro quando o filme Jogos Mortais estreou em 2004, dando arrepios no público do começo ao fim. Não somente este filme ofereceu aquilo que os amantes do gênero buscam, o medo, mas também terminou com um final surpreendente que muitos não esperavam. Saindo do cinema, era possível ouvir os espectadores dizendo que o longa merecia ser indicado ao Oscar.

Considerações sobre o sucesso ou a qualidade do filme à parte (a franquia de Jogos Mortais continua viva ainda hoje), se nem mesmo Psicose, que é um clássico do cinema de horror dirigido por Alfred Hitchcock, conseguiu a estatueta, fica difícil imaginar que Jogos Mortais teria qualquer chance. Isto porque o Oscar dava preferência não a filmes de horror ou comédia, mas sim ao drama, especialmente se o enredo também contasse com um tom histórico que levasse a plateia a tempos passados.

corra! indicado ao oscar
Daniel Kaluuya interpreta Chris Washington (Foto: Divulgação/IMDb)

Mesmo com certas exceções, o gênero do horror parecia não ter chance… até hoje. Corra!, dirigido por Jordan Peele, já faz parte da previsão de quais filmes terão mais chance de concorrer, algo muito difícil de acontecer anos atrás. Mas, por que agora? Quais são as razões por trás destas mudanças?

Alguns críticos dizem que a presença de Corra! no Oscar é baseada em mudanças políticas, já que a trama central do filme é fundamentada em um afrodescendente seduzido e sequestrado por uma família maníaca que tem como objetivo algo não muito longe de uma ficção científica (para não dar nenhum spoiler).

Porém, a presença de gêneros antigamente ignorados pela academia vai muito além da política ou da própria constituição de seus jurados (que vem mudando nos últimos tempos) e vai até o próprio mercado cinematográfico.

IMDb
Cena do filme Corra! (Foto: Divulgação/IMDb)

Mesmo antes da internet, o mercado de nicho já era mais do que conhecido por empresários e marqueteiros. Porém, com a internet e as mídias sociais, ficou não somente mais fácil de defini-los, mas como também impossível de ignorá-los. As mídias sociais focam a atenção no indivíduo e em seu grupo específico, sendo quase, senão o total, oposto da mídia tradicional, que era idealmente esquematizada para a população em geral.

O próprio cinema começa então a se fragmentar para dar atenção a grupos menores e específicos, especialmente quando serviços de streaming de vídeo fazem sucesso por conseguir personalizar os gostos pessoais de cada um de modo automático pelo logaritmo de seus sites. Até mesmo Chris Rock, apresentando o Oscar de 2016, usou esta fragmentação como comédia quando entrevistou afrodescendentes que nunca tinham ouvido falar dos filmes nomeados à premiação daquele ano. Porém, quando perguntava de Straight Outta Compton: A História do N.W.A., filme sobre afrodescendentes, os mesmos respondentes imediatamente reconheciam o título, embora este não tenha sido nomeado. Mesmo que esta entrevista tenha sido planejada como uma piada, ela aponta para esta fragmentação no gosto dos espectadores que vem acontecendo nos últimos tempos.

filme corra vale a pena
Jordan Peele, diretor de Corra! no set de filmagens (Foto: Divulgação/IMDb)

No ponto de vista do Oscar, qual a importância histórica de um filme que, embora feito para o público moderno de gostos fragmentados, agrada a população em geral e bate vários recordes de bilheteria?

É a habilidade de atrair interesses tão diferentes que faz com que seja natural falar de Corra! como um potencial participante do Oscar, mesmo quando os gêneros do horror, comédia e ficção cientifica (todos fazendo parte de Corra!) eram antes colocados em segundo lugar pelo drama.

Assista ao trailer:

Todas as fotos do filme Corra! usadas nesse post estão sob licença do site IMDb*

imagem_release_1196198

Sobre o autor do texto: Daniel Bydlowski é cineasta brasileiro e artista de realidade virtual com Masters of Fine Arts pela University of Southern California e doutorando na University of California, em Santa Barbara, nos Estados Unidos. É membro do Directors Guild of America. Trabalhou ao lado de grandes nomes da indústria cinematográfica como Mark Jonathan Harris e Marsha Kinder em projetos com temas sociais importantes. Seu filme NanoEden, primeiro longa em realidade virtual em 3D, estreia em breve.

🖱 Siga as rede sociais de quinta e fique por dentro das novidades:

📸 Instagram: @escritoradequinta 
👍 Facebook: Escritora de Quinta
📌 Pinterest: Tati Santana

Altered Carbon | O CyberPunk está vivo com nova série original Netflix

Altered Carbon | O CyberPunk está vivo com nova série original Netflix

Vocês não imaginam como estava apreensiva em assistir Altered Carbon, tudo que haviam falado sobre a série até o momento da estreia estava bom demais para ser verdade. A instalação que a Netflix fez na CCXP ano passado estava épica, fiquei cara a com a capa de Joel Kinnaman e assustada com a realidade daquele falso corpo ensacado na mesa. A divulgação estava pesada, eram pôster em bancas perto de casa, trailer na sessão do cinema, trailer sendo exibido no SBT, será que era preciso tudo aquilo? E eu já te respondo aqui mesmo: sim, era preciso sim!

altered carbon vale a pena
Olhem só que visual lindo! (Foto: Reprodução/IMDb)

A nova série original Netflix de ficção científica traz muitas apostas nesse universo que nem sempre tem conseguido ganhar acertos na indústria do entretenimento. Inspirada no livro de Richard K. Morgan, que fora lançado em 2002, Altered Carbon estreia 10 episódios em sua primeira temporada e consegue fazer jus a tanta divulgação em cima de sua trama. São raras as falhas em sua produção, o visual do mundo futurista criado por Laeta Kalogridis está impecável.

A história é sobre o emissário Takeshi Kovacs (Will Yun Lee) que morreu se rebelando contra o sistema. 250 anos depois ele é colocado em um novo corpo que é interpretado por Joel Kinnaman. No futuro, a morte não é mais um limite para os humanos, quando seu corpo morre, é possível fazer backup da sua mente para uma nova capa. O conceito de corpo não existe mais, usamos todos capas e podemos trocá-las, cloná-las, evitando a morte real que só acontece quando seu cartucho é destruído.

critica altered carbon
Esse foi o momento em que Kovacs acordou em uma nova capa, 250 anos depois. (Foto: Reprodução/IMDb)

Kovacs é trazido de volta por Laurens Bancroft (James Purefoy), um milionário que faz parte da classe alta, conhecida como Matusas, imortais perante todo o dinheiro e poder que conseguem ter para si. Alguém tentou matar Bancroft e ele quer o melhor para solucionar seu assassinato, se é que podemos chamar assim já que seu backup não foi danificado e ele continua vivo.

“Não importa o quanto você viva, nunca vai terminar. Tem que aprender a deixar o mundo seguir em frente. Aceite que a morte é parte de vida.”

A morte e a falta dela podem abalar em diversos aspectos, seja a sociedade em um geral ou o psicológico de cada um em si, e durante a história temos a Tenente Kristin Ortega (Martha Higareda) tendo uma bela conversa com sua Avó sobre retornar mais uma vez ou finalmente partir. Outra questão que é abordada de maneira bem sútil na série é sobre gênero, afinal, se somos apenas mente/consciência e podemos retornar em qualquer corpo, que diferença faria eu, mulher, retornar em um corpo masculino e vice-versa? Meu backup estaria intacto, minha essência, digamos assim, não teria nenhuma mudança, apenas meu corpo, então que diferença faz? Todas as discussões sobre o certo e errado que existe nesse tema nos fazem pensar quão pouco sabemos a respeito.

altered carbon serie netflix
Não se enganem, essa baixinha aí da foto, Tenente Ortega, vale quase dois do Kovacs. (Foto: Reprodução/IMDb)

Eu não sei vocês, mas sou completamente apaixonada por ficção! Amo assistir uma série ou filme que é capaz de me fazer viajar para um mundo completamente novo, criado especialmente para aquela história. Altered Carbon não decepciona, a trama é capaz de nos teletransportar para o universo em que ela é ambientada. E que universo! Que paradoxo de futuro que temos para a nossa humanidade!

É possível enxergar as críticas a nossa sociedade nos diálogos. Os Matusas, classe mais rica, são como deuses e nos fazem questionar até onde vai o desejo e ambição daqueles que já têm de tudo. A história é fiel ao retratar a diferença social que é gritante, principalmente em tempos como esse, onde os ricos realmente assumiram o papel de donos do mundo. O que faríamos se tivéssemos acesso a imortalidade?

altered carbon vale a pena
As Inteligências Artificiais em Altered Carbon são os donos de hotéis, casas de show e jogos. (Foto: Reprodução/IMDb)

“Aquilo que acreditamos molda a pessoa que somos. Crenças podem nos salvar ou nos destruir. Mas quando acreditamos em uma mentira por muito tempo, a verdade não liberta. Ela nos destrói.”

Estava com saudade de viajar assistindo algo do gênero. É claro que a série não conseguiu agradar a todos, só espero que consigam atingir o gasto da produção já que muito dinheiro deve ter sido investido. A segunda temporada ainda não foi confirmada, depois do susto que passamos com Sense8, fico receosa em toda produção da Netflix, mas a esperança é a última que morre e espero ter um retorno do Takeshi Kovacs. Maratonei a primeira temporada no final de semana de estreia, espero que você goste e também faça o mesmo. O futuro, meus amigos, eu espero que seja diferente desse de Altered Carbon porque se for, estamos com sérios problemas.

Assista ao trailer:

As cenas de ação, vocês viram essas cenas no trailer? São as melhores da Netflix até agora, deixou as lutas que os heróis da Marvel travam em suas histórias no chinelo.

Todas as fotos utilizadas nesse post estão sob licença do site IMDb*

🖱 Siga as rede sociais de quinta e fique por dentro das novidades:

📸 Instagram: @escritoradequinta 
👍 Facebook: Escritora de Quinta
📌 Pinterest: Tati Santana