A jornada de Lion e as coincidências da vida

A jornada de Lion e as coincidências da vida

Lion: uma jornada para casa é o tipo de filme que te deixa chorando e sorrindo ao mesmo tempo. Uma trama baseada em fatos reais, aquele filme biografia que você realmente respeita e com um elenco que te ganha, te abraça, te envolve e depois te apresenta as pessoas que viveram a história que aconteceu fora das telas.

Saroo
Esse é Sunny Pawar, o pequeno que interpretou Saroo enquanto tinha 5 anos (Foto: Reprodução/NewsJoins).

Saroo tem cinco anos de idade quando se perde de casa, do irmão, da família, de tudo que conhecia. Todos nós já tivemos cinco anos, somos espertos, mas não o suficiente para detalhes tão importantes. Conseguindo escapar de um destino que poderia ter sido muito cruel, o pequeno indiano acaba sendo adotado por uma família e muda-se para a Austrália.

Só que o passado é algo que carregamos conosco, a infância, por mais que venha ser dividida em dois mundos, prevalece e Saroo, mesmo 25 anos depois não consegue viver sem respostas para as perguntas que remetem sua vida na Índia. É uma retratação da realidade daqueles que estão perdidos, não lembram, não sabem sua verdadeira história e nem sempre conseguem deixar essa dúvida para trás.

Saroo
Dev Patel interpretando o Saroo 25 anos depois de ter se perdido de casa (Foto: Reprodução/GazetadoPovo).

Se você não assistiu Lion, vai reclamar que estou dando spoiler, mas é um spoiler bem óbvio do que felizmente acontece no filme e na vida real de Saroo. No dia 12 de fevereiro de 2012 ele finalmente reencontrou sua mãe biológica. No dia 12 de fevereiro de 2012 eu estava completando 18 anos, começando a tirar minha habilitação, pensando no que fazer com a chegada da vida adulta, enquanto Saroo, na Índia, lá no outro lado do mundo, voltava a abraçar a sua mãe que passou todos esses anos sem perder a esperança de reencontrar seu filho, nunca mudando de região e esperando por ele.

Pare e pense. A infinidade de coisas e vidas que mudam no mundo enquanto estamos passando por dias que julgamos normais. As inúmeras tragédias e os grandiosos momentos que acontecem na vida de tantas pessoas que habitam esse espaço terrestre. Eu sei, estou viajando e te arrastando para essa minha viagem, mas pensem em quantas coisas vivem acontecendo a todo momento no mundo lá fora…

Lion
Nicole Kidman e David Wenham interpretando os pais adotivos com o pequeno e depois já adulto Saroo (Foto: Reprodução/HollywoodReporter/Moviabase)

Já imaginou que tipo de história pode estar acontecendo no outro lado do hemisfério enquanto você lê esse post? Eu já estava emocionada por toda a história de Saroo, comecei a sorrir para as últimas cenas enquanto tentava lembrar do meu aniversário há cinco anos atrás. Um daqueles momentos únicos que só quem é apaixonado por toda essa conexão que um bom filme pode causar irá entender.

O filme retrata a enorme diferença cultural que encontramos na Índia, choca ao mostrar parte da pobreza extrema que existe no país, mas te encanta ao captar a simplicidade da vida livre de todas as regalias que temos em nossos próprios lares. É impossível não ficar apaixonado pelo carinho de Saroo e Guddu, seu irmão mais velho e no modo como ambos encaravam suas difíceis rotinas.

Dev Patel interpreta o Saroo mais velho, Nicole Kidman sua mãe adotiva e David Wenham seu pai adotivo. Dirigido por Garth Davis e baseado no livro autobiográfico do próprio Saroo Brierley, o filme foi indicado a seis categorias no Oscar. Estreou no cinema em fevereiro desse ano e já está disponível no catálogo da Netflix. É uma ótima história e um prazer conhecê-la. Espero que vocês também gostem.

Assista ao trailer estendido com a música original que a Sia compôs para a trama:

A música é Never Give Up, caso queiram saber.

Projeto 20 coisas: séries preferidas

Projeto 20 coisas: séries preferidas

Fala galerinha do meu canal, tudo beEPA, rede social errada! Quem acompanha o Escritora de Quinta já está por dentro de algumas interações que andaram rolando por aqui. Se você anda meio perdido, se acalma e ajeita a cadeira aí que essa é mais uma interação (e a oficial) do Projeto 20 Coisas! O projeto fora criado pela Helô, do Onde Cê Vai Loko e pela Mi, do Michellandia. A postagem a seguir é da Hanna, que veio indicar as 20 séries preferidas que ela assiste. Depois não deixem de acessar o blog dela porque eu andei falando dos meus 20 personagens favoritos por lá.

projeto20coisa

Olá meu povo, como estamos? Para quem não me conhece, meu nome é Hanna Carolina e sou a dona do Mundinho da Hanna. Hoje, em especial, estou aqui de passagem no Escritora de Quinta para fazer um post muito legal sobre séries. Vou comentar sobre as séries que assisti e se tornaram as minhas favoritas. Será que vocês já assistiram algumas delas? Só lendo para saber! Então chega mais! =)

  1. Sherlock

Nossa! Já falei várias e várias vezes o quanto Sherlock é bom! Primeiro porque sou suspeita pra falar, já que sou a louca por Sherlock Holmes (rsrsrs)… E segundo porque é muito boa mesmo! Todo mundo aqui, mesmo que nunca tenha lido suas aventuras, sabe pelo menos a referência do “elementar, meu caro Watson” e sabe o que significa ver o cara com um cachimbo, uma capa imensa e um chapéu de detetive consultor. Nessa série em especial, ao contrário dos livros e filmes, a história se passa com Sherlock Holmes e seu fiel escudeiro Watson vivendo em pleno século XXI. Então eles usam celulares, Dr. Watson escreve num blog… É tudo bem moderninho, porém sem perder o clássico da dupla investigativa e da ciência dedutiva do Sherlock (os atores também são muito bem escolhidos e, caso não saiba, o ator que faz o personagem do Sherlock também foi o que fez Dr. Estranho no filme ano passado).

2. NCIS – New Orleans

Eu amo séries policiais e não poderia deixar de falar dessa. Eu sei que tem várias franquias de NCIS, mas a minha favorita é a de New Orleans. Os atores são mais legais, os casos eu também acho mais interessantes, mas vou confessar que o que gosto mesmo são das músicas da série! A da abertura foi a que me conquistou e logo depois eu vi que a banda também toca as outras músicas que aparecem na trama. Nem preciso falar que acabei baixando os cd’s da banda e fico ouvindo em casa o tempo todo, né? =p

3. The Catch

Traduzido aqui no Brasil como “A Jogada”, essa série infelizmente foi cancelada, porém eu me apaixonei pelo enredo. É uma história envolvente e que sempre te surpreende porque quando você pensa que não vai mais acontecer nada, no final do episódio acontece uma coisa que te deixa de boca aberta, afinal, você não esperava que fosse acontecer… Ainda mais do jeito que aconteceu… Essa é a história de Alice Vaughan, uma detetive que tem uma agência de investigação e é noiva de um cara que só faz parte de uma gangue altamente especializada em dar golpes. Nem preciso dizer que o cara só tá noivo dela para dar o golpe nela e ferrar com a empresa, né? Mas ela descobre e fica naquele jogo de gato e rato. Apesar dela saber a origem do cara, fica mais apaixonada, e ainda rola o lance de perigo no meio, para dar uma apimentada a mais na relação. Não tenho muito o que explicar, só vendo mesmo para saber… =)

4. WestWorld

westworld
Foto: Reprodução/Pinterest

Essa série é novíssima e estreou ano passado, mas está entre as minhas favoritas. Ela se passa num futuro não muito distante, onde as pessoas começam a investir em Inteligência Artificial. Logo dois amigos se tornam sócios e criam um parque chamado West World, onde todos os personagens são androides e tem um sistema de pensamento tão avançado que eles mesmos se atualizam e começam a pensar como nós. O agravante do parque é que ele foi feito para tudo ser liberado. Tudo o que você não tem coragem de fazer perante a sociedade, você é livre para fazer lá dentro. Ou seja, roubos, mortes, estupros… Tudo é permitido lá dentro, pois os androides são feitos com estruturas que lembram carne, osso e até os sistemas orgânicos que temos. Logo, você sabe que está fazendo tudo aquilo com um robô, no entanto, a sensação é como se fosse com uma pessoa de verdade. A vantagem é que você pode fazer o que quiser com eles, mas eles não podem revidar, já que são programados para não ferir os humanos. Até que atualizações acontecem, os androides começam a ter lembranças de fatos passados e… coisas começam a acontecer… Para quem curte uma boa ficção científica, essa é a série certa! 😉

5. Sleepy Hollow

Essa já é conhecida de algumas pessoas, porém para mim é nova. Ela se passa numa cidadezinha dos EUA, onde tudo é perfeitamente normal, até que começam a aprecer pessoas decaptadas sem motivo aparente. Logo surge também um cara que se diz ter sido soldado do General Washington pela liberdade dos EUA… Em meio a essa loucura, apenas uma detetive acaba acreditando no tal soldado, pois ele fala de coisas que apenas ela sabia, lembranças de infância. E assim começa a busca dos dois, para combater as forças do Mal que despertaram na cidade e vem para trazer o Apocalipse. Quem assiste a história sabe que ela é baseada no filme ‘A lenda do cavaleiro sem cabeça’. A série é assim também, um cavaleiro sem cabeça, que aparece do nada decaptando as pessoas, com o diferencial desse soldado que acorda junto para combatê-lo. Eu gosto da série, apesar de também ter sido cancelada… =/

6. Once Upon A Time

Imagina ter todos os personagens que você só conhecia dos livros de contos de fadas vivendo no mundo real, numa cidade só deles? Assim é a pacata Storybrook, uma cidade onde todos os moradores são personagens de contos de fadas. E mais, sabe tudo que você pensava sobre os personagens e o lance de finais felizes? Esqueça, porque nessa série as coisas são muito mais antigas e muito mais complicadas do que você imaginava. Logo você vai ver que todos os personagens tinham passagem nas histórias dos coleguinhas. Cada um influenciou para o bem ou para o mal o final de cada personagem. A Rainha Má não é má por acaso, o fato de querer sempre matar Branca de Neve tem a ver com o passado… A Bela e a Fera tem um fundo mais sombrio do que se possa imaginar… Peter Pan foi quem mais me surpreendeu, pois nunca tinha pensado nele dessa forma… E assim foi… E como são personagens da Disney, a cada temporada aparecem mais e mais personagens, a imaginação rola solta, afinal, tudo começa com “Once upon a time”.

7. DC´s Legends of Tomorrow

Há quem diga que é uma cópia de Dr. Who, mas nem ligo. Continuo assistindo mesmo assim… =p É uma série na qual heróis que não são tão valorizados nas suas histórias originais saem viajando pelo tempo, arrumando o que eles chamam de aberrações temporais, fatos que podem acabar com o tempo como o conhecemos e mudar drasticamente o futuro de toda a humanidade. Então eles saem do seu tempo para se tornarem as “lendas de amanhã”. Dizem que eles são cópia de Dr. Who por causa da nave, a capacidade de viajar no tempo e o Rip Hunter, que é o primeiro capitão da nave e da equipe… Mas a série é muito boa e recomendo que assistam e tirem suas próprias conclusões.

8. Gotham

Óbvio que não poderia deixar de falar do meu super herói favorito, o Batman! Apesar da série não falar do Batman propriamente dito, ela fala da cidade quando o homem morcego era ainda uma criança/adolescente. Então toda a ação fica para o Gordon, que ainda é um simples detetive e conta como os outros vilões surgiram. Aos poucos estão sendo explicadas as origens do Pinguim, Xarada, Hera Venenosa, entre outros. Uma série bem filmada, e com todo o clima sombrio que a história do Batman pede. Nada daquele tipo super herói que os filmes romantizavam, mas o que os quadrinhos falavam… Um anti-herói, que não seguia regras… A cidade é no mesmo estilo… Tudo é mais sombrio, tudo é mais perigoso.

9. Game of Thrones

Essa série se tornou a minha queridinha, desde que comecei a ler os livros. Nem preciso dizer o quanto estou ansiosa, tanto pela estreia da nova temporada, quanto pelo enfim lançamento do sexto livro, que espero há anos… =/ Game of Thrones é para quem gosta de sofrer, pois o autor não tem a mínima pena de matar seus personagens, principalmente os que são mais amados pelo público. Nela tem dragões, feitiços, zumbis, tudo que se possa imaginar. Fora as referências históricas, figuras como Átila, o Huno, Alexandre, o Grande, Aquiles e tantos outros não são inclusos com esses nomes, porém se parar para pensar com cuidado, você vai ver que os personagens no fundo são inspirados nesses grandes personagens da História.

10. House

dr_house
Foto: Reprodução/MtsProduções

Como não amar (e também não odiar) esse médico? House é um médico muito requisitado, porque sempre cura seus pacientes. Mas antes disso, ele humilha, xinga, não mede esforços para deixar todos a sua volta para baixo. Uma pessoa dessas deveria era afastar todos a sua volta; todo mundo o odeia, mas continua perto dele, porque ele tem um jeito de resolver os sintomas das doenças de um jeito único. No início eu não curtia House, mas depois a série foi tomando espaço no meu coração e hoje até gosto dela.

11. Bones

Outra série que, apesar de antiga, para mim é nova. Bones na verdade é um apelido dado para uma antropóloga forense que trabalha com arqueologia forense no melhor instituto do mundo dessa área, o Jefersonian. Logo seus estudos chegam ao conhecimento do FBI, que contrata a equipe do instituto para resolver alguns casos até então impossíveis de solucionar. Logo você simpatiza com a equipe, que forma os casais entre si e com a própria Bones, uma mulher bonita e boa no que faz, no entanto, gosta de mostrar o quanto é inteligente para todos e para o mundo. O que me irrita um pouco nela é que ela fala demais e tem a necessidade de demonstrar conhecimento o tempo todo, mas os amigos a sua volta dão o toque de comédia até a resolução dos casos.

12. Penny Dreadful

Se você curte personagens dos clássicos da literatura mundial, não pode deixar de ver Penny Dreadful. Ao contrário dos personagens de Once Upon A Time, nessa série você vai encontrar os clássicos como Drácula, O Médico e O Monstro… E por aí vai. São os clássicos do terror. É uma série de 3 temporadas apenas, mas que tira o fôlego com os personagens que aparecem.

13. CSI

Comecei a gostar de séries policiais vendo CSI. Ela tem várias franquias, mas a minha favorita semre vai ser a original, que se passa em Las Vegas. Primeiro porque nas primeiras temporadas o chefe da equipe é um entomólogo. Nem preciso dizer que a bióloga que vos escreve ficou toda feliz e queria até fazer a prova para perita da Polícia Federal vendo os episódios dessa série! Eu desisti da ideia da prova, mas a série é muito boa e caiu entre as minhas queridinhas do coração! =)

14. The Big Bang Theory

Todo nerd que se preze já viu pelo menos um episódio dessa série. Com um toque e tanto de comédia, TBBT conta a história de 4 amigos nerds que trabalham em universidade e sobre como eles convivem com a sociedade. Confesso que comecei a assistir sem esperar nada por ela, mas logo me apaixonei, ainda mais porque em cada personagem da turma eu vejo algum dos meus amigos. =p Me identifico muito com essa série e assisto todo episódio dela!

15. Law and Order

Essa foi mais uma que me fez me apaixonar por séries policiais. Ela conta as histórias da Unidade de Vítimas Especiais, ou seja, abuso sexual. Além disso, ela mostra sem pudor o quanto as coisas podem ser podres até do lado dos “mocinhos”. Sempre tem uma fruta podre no meio do cesto e eles são mestres em descobrir isso.

16. Friends

Toda geração já viu pelo menos um episódio de Friends. Quem não dava altas gargalhadas com essa turma? Principalmente quando estavam juntos? É uma nostalgia quando consigo ver um episódio da série na TV… =)

17. Two and Half Men

Outra série nostálgica para mim. Ver os dois irmãos tentando tomar conta do filho de um deles é a coisa mais engraçada. Ainda mais porque o garoto é louco pelo tio, a “má influência”, porém é quem sustenta o irmão e o sobrinho com as musiquinhas de comercial.

18. Máquina Mortífera

Essa entrou para minha lista de queridinhas também. O sfilmes que tem da dupla de policiais viraram quase um clássico, tanto que agora tem a série. O enredo é o mesmo: o policial certinho que acabou de passar por uma cirurgia do coração (que inclusive é feito pelo chefe da família em Eu, a patroa e as crianças) e o policial que é genro do chefe de polícia, mas quer se matar depois de perder a esposa. Logo eles são obrigados a trabalhar como parceiros. O que no início não daria certo, logo se torna um laço de amizade… Um vê uma família onde achava que não teria mais nada, o outro acha mais motivos para ser policial, além da vida monótona.  Eles se tornam uma dupla improvável, porém também imbatível e resolvem os crimes com muito humor, mas sem deixar a “responsa” de lado… =)

19. Supergirl

supergirl_4
Foto: Reprodução/Judão

Apesar de não ser muito chegada na história do Superman, a da prima dele caiu nas minhas graças. Kara é uma jornalista na Cath Co e trabalha secretamente como Supergirl numa agência que protege a Terra contra alienígenas. Tem muita coisinha que lembra o Superman, mas até que é uma história fofinha e acabei gostando… =)

20. Chicago Med

Para finalizar, me deixe falar dos médicos mais lindos que já vi numa única série. Chicago Med trata do que acontece no hospital de mesmo nome. Então, são emergências, conflitos dos médicos entre si e com eles mesmos, romances, tragédias… tudo no mesmo prédio. Essa é uma franquia, pois as séries são vinculadas e tudo acontece em Chicago: Chicago PD, Chicago Fire e Chicago Med. Agora tem Chicago Justice também, mas ela não fez tanto sucesso assim e foi cancelada na primeira temporada.

E… ufa! Missão dada é missão cumprida! Aqui estão as minhas séries do coração! E aí pessoal, gostaram? Já tinham visto alguma delas?

Bjks e muito obrigada pelo convite Tati! =)

 

Especial com filmes para aquecer seu coração

Especial com filmes para aquecer seu coração

Hoje é dia nove de junho. Você está inalando coraçõezinhos e casais apaixonados desde final de maio que pareceu ter 32 dias. Não tem como fugir, o dia dos namorados está no Spotify com playlist especiais para ouvir com o amado que você não tem, está na televisão com as propagandas dos presentes que você não irá ganhar, está no centro comercial da sua cidade e nas ruas com as pessoas que parecem surgir na sua frente sempre acompanhadas e felizes.

É difícil, minha amiga e meu amigo, mas todo dia dos finados até agora você passou vivo. O que tornará passar o dia dos namorados sem namorado ou namorada uma fichinha. Sério. Desculpa usar esse exemplo de quinta, mas, ei! Olha o nome do blog, você não poderia esperar uma piada de primeira, muito menos de segunda, né?

Mas vamos ao que interessa, vamos aos filmes que decidi indicar para aquecer vossos corações solitários nesse final de semana que antecede a segunda (como se não já não fosse ruim o bastante) de dia dos namorados. Sem essa de querer fugir, são histórias de amor sim e que irão aquecer seu coração solitário também. Vão por mim, de verdade, assistir pelo menos um desses filmes nesse final de semana irá aliviar sua alma. Até quem já tem a famosa metade da conchinha na hora do edredom pode assistir. São os queridinhos para aquecer qualquer coração ❤

Comer, Rezar, Amar (2010)

a-renovacao-espiritual-em-comer-rezar-e-amar-html
Foto: Reprodução/Obvious

Liz tinha uma vida completamente estável, uma casa, um marido, um trabalho de sucesso. Até que as coisas começam a mudar drasticamente. Com o divórcio ela já não sabe mais o que é importante, não conhece mais a verdadeira razão por estar nesse mundo. Um filme que mostrará Julia Roberts numa viagem de auto-descoberta para sua própria personagem. Daqueles que te deixará com vontade de fazer as malas ou preparar uma macarronada. Sério, ela fica uns dias na Itália (que é minha parte preferida) e eu não posso deixar essa vida antes de comer naquele lugar.

Dica valiosa: ele também está disponível na Netflix.

La La Land – Cantando Estações (2016)

O queridinho do Oscar que você precisa rever ou se ainda não assistiu, precisa urgentemente assistir! Uma história que, como já disse aqui no blog, não é sobre amor, é sobre sonhos. Mia e Sebastian, Emma Stone e Ryan Gosling nessa mágica história sobre como a vida gosta de brincar com nossos sentimentos e testar nossos sonhos.

Mesmo Se Nada Der Certo (2014)

tumblr_nhtzqx1ym51tjb1uko1_540
Foto: Reprodução/Tumblr

Uma história que reúne vários perdedores. Acredite, cada personagem desse filme perdeu algo e está em busca do melhor caminho para seguir em frente. E o melhor de tudo é que a trilha sonora fará você se apaixonar ainda mais por esse filme. Ainda mais, no caso, porque tem Adam Levine e Mark Ruffalo, então imaginem a dose alta de amor que vocês encontrarão nesse filme. Também já falei sobre ele aqui no blog.

Celeste e Jesse Para Sempre (2012)

Você já pensou como seria sua vida se tivesse conhecido o amor dos seus sonhos no ensino médio e casado com ele? Pois é, agora imaginem como essa história realmente deve ser contada? Sem o clássico conto de fadas que estamos acostumados? Celeste e Jesse nos mostram como nem sempre é fácil manter uma relação por tantos anos. Assim como terminar essa relação também não é algo assim tão simples.

Um Dia (2011)

um dia
Foto: Reprodução/DicaPraHoje

Dex e Em, Em e Dex. A história desses dois é cheia de situações que a vida vira e mexe impõe em nossos caminhos. Destinos que se separam e se cruzam novamente, uma história de 20 anos que inicialmente foi contada no livro pelo autor David Nicholls e agora nessa adaptação que tem Anne Hathawey, como Emma Morley e Jim Sturgess, como Dexter Mayhew. Pessoas que deveriam permanecer juntas, mas que a vida decidiu tecer novos planos para elas.

E só mais uma dica: tem na Netflix também.

Texto de Quinta: O amor nem sempre é capaz

Texto de Quinta: O amor nem sempre é capaz

We Heart It
Foto: Reprodução/We Heart It

Você caiu no conto do “amor muda tudo” e agora está presa a uma pessoa que não te fará bem nenhum. Leia esse texto até o final para não cair nessa maldição.

É sempre bom lembrar que nem sempre o amor muda as pessoas, nem sempre o amor curará todas as feridas, nem sempre o amor será capaz de seja lá qual for a situação ou sentimento que você queira ajeitar. O amor nem sempre é capaz.

Não que isso nunca acontecerá. Você poderá ouvir histórias de pessoas que não tinham a mínima consideração por aquela que dizia que a amava todo dia e que com o amor e tempo conseguiram mudar, reconhecendo aquela que a amava e sentindo gratidão por tê-la em sua vida.

Essas coisas acontecem. Não vou mentir para você. Mas quero te alertar sobre casos sem solução, pessoas que não estão interessadas em relacionamentos sinceros. Pessoas que não sabem retribuir o que recebem, que não estão preparadas para a troca, para a reciprocidade. Pessoas que não dão a mínima para o que você diz sentir. E realmente sente. Em abundância. Em urgência. Em silêncio já com medo de que coloque tudo a perder.

O amor nem sempre é capaz de fazer caridade e abrir os olhos de quem está cego ao teu lado e não te vê. Não te vê como quem você merecia ser visto. Você merece mais que isso. Mais que um alguém que não te valoriza, não te ama, não te passa a segurança que você vive tentando passar. Existem batalhas que não foram feitas para serem vencidas, lembre-se disso. Às vezes, toda essa luta que você enfrenta diariamente para ser valorizado por quem simplesmente não te merece já seja um nocaute e só você não tenha sido avisado.

Então estou te avisando aqui. Agora. Da maldição do “amor muda tudo”. Nem sempre o mais sincero e lindo sentimento é capaz de mudar aquele coração que nasceu para a escuridão. Nem sempre será você ou o seu amor capaz de mudar aquela pessoa. Tenha em mente que nem todo sofrimento e esforço valerá a pena, saiba a famosa hora de parar.

Interação: Filmes preferidos das blogueiras

Interação: Filmes preferidos das blogueiras

Quem acompanha o Escritora de Quinta deve estar se perguntando que tipo de post é esse, pois bem, não se desesperem que irei explicar tudo direitinho para vocês.

Fui convidada para participar do Projeto 20 Coisas, criado pela Helô do Onde Cê Vai Loko e pela Mi do Michellândia. O projeto é uma interação que faremos entre todos os participantes, trocando postagens no blog um do outro. E na mesma pegada dessa interação linda que estamos fazendo (logo, logo vocês verão mais sobre o projeto por aqui) eu decidi fazer esse post, onde cada um dos participantes escolheram o filme preferido e falaram sobre o significado dele. Afinal, filme e série sempre acabam significando alguma coisa pra gente, né?

Não são todos os blogs participantes do projeto, mas consegui convencer alguns a mandarem os filmes. Espero que gostem e no final é claro que eu coloquei o meu filme preferido. Juro que escolhi só um, mas tô aqui sofrendo pensando nos tantos outros filmes que também amo.

Luísa, O Mundo de Eulália: Orgulho e Preconceito

orgulho-e-preconceito-2
Foto: Divulgação

Eu amo o cinema em geral mas tem alguns filmes no qual sempre volto assistir não importando quantas vezes já tenha o visto. E para mim um filme inesquecível é Orgulho e Preconceito.

Eu sou apaixonada por qualquer coisa de época. Seja filmes, novelas e afins. Esse filme além de ser inspirado numa grande obra de literatura, tem um enredo apaixonante. E quem não quer viver uma história de amor como essa? Volta e meia eu assisto de novo e não enjoo. Os atores são lindos, o cenário, a história. Não tem como não se apaixonar por esse filme.

Helô, Onde Cê Vai Loko: 10 Coisas Que Eu Odeio Em Você

zpyzlofn
Foto: Reprodução/ViralityToday

Confesso que sou fascinada por suspenses e documentários criminais, pois é uma área que atualmente é o meu dia a dia devido a minha área de formação. Mas um filme que me marcou muito, principalmente a adolescência foi “10 coisas que eu odeio em você”. É tipo uma comédia romântica meio fora do padrão e deixo aqui o poema que é o ápice do filme:

“Odeio o modo como fala comigo, e como corta o cabelo. Odeio como dirige o meu carro e odeio seu desmazelo. Odeio suas enormes botas de combate e como consegue ler minha mente. Eu odeio tanto isso em você que até me sinto doente. Odeio como está sempre certo e odeio quando você mente. Odeio quando me faz rir muito, mais quando me faz chorar… Odeio quando não está por perto e o fato de não me ligar. Mas eu odeio principalmente não conseguir te odiar. Nem um pouco, nem mesmo por um segundo, nem mesmo só por te odiar.”

Já assistiu? Se ainda não corre lá no youtube, que tenho certeza que vai adorar. (Assistam também “Número 23” =X).

Michelle Graça, Michellândia: Star Wars

princesa-leia-star-wars
Foto: Reprodução/PlayBuzz

Existe um “quadrado das Bermudas” em minha vida: viagens, livros, séries e filmes. São minhas paixões e me perco nelas facilmente. Eu assisto de tudo: comédia romântica, drama, passando pelos filmes de guerra, indo aos suspenses e chegando aos filmes de super heróis (Marvel ❤). Só não curto filmes com espíritos: um mês sem dormir na certa (sou medrosa, me julguem… rs). Entre todos os gêneros existentes, o que eu mais gosto é o de ficção científica.

Como a garota que ama filmes é humanamente impossível escolher apenas um, então eu escolhi um clássico, um filme que mudou a historia do cinema, recriou e criou vários segmentos existentes na sétima arte e que arrasta multidões para uma galáxia muito, muito distante… STAR WARS!

Star Wars é muito mais que um filme, é um universo onde você aprende diversas lições de vida, e sabe qual mais me marcou? A princesa empoderada: Léia! Sim, sim pessoas, ela foi a primeira princesa que a pequenina Michelle teve contato, empoderada, princesa das galáxias, capitão, inteligentona, diferentona e que conquistou seu espaço em um universo totalmente masculino. E foi essa princesa que me ensinou Yes I can!

E foi assim que eu cresci, acreditando que eu poderia conquistar tudo, planetas, galáxias e todos os meus sonhos ❤

Lorrany, Diário de Uma Garota Cristã: Como Estrelas na Terra

dislexia
Foto: Reprodução/Reab.Me

Esse filme é muito emocionante, não tem como você assistir e não chorar, sério! Ele mostra que cada pessoa tem suas limitações mas que ela tem também seus talentos, e que se não soubermos como trata-las podemos acabar matando os sonhos delas.  E que o amor e dedicação ao próximo tem um poder maravilhoso e lindo.

Sinopse: O filme conta a história de um menino e 9 anos chamado Ishaan Awasthi, ele sofre de dislexia, estuda em uma escola normal e repetiu uma vez o terceiro período e está correndo o risco de isso acontecer de novo.

Amanda, Explorar-te: De Repente é Amor

derepenteee-thumb-800x480-139614
Foto: Reprodução/Obvious

Eu sou a doida dos filmes, deu para ver que adoro pelas resenhas né? Mas eis aqui um filme que é meu xodó e ainda não contei lá no blog (segredo hein!). É o filme “de repente é amor”, quem me apresentou esse filme foi um ex-namorado, e na época que assistíamos juntos eu já gostava, ele sempre dizia que eu era todinha a Emily (personagem principal que por sinal é interpretada por Amanda Peet, coincidência ou não!), mas só depois que comecei a vê-lo sozinha que tudo começou a fazer certo sentido!

De repente é amor, trata-se da história de Oliver e Emily, cujo ambos estão atrás dos seus sonhos e conquistas de vida, e se encontram pela primeira vez em um aeroporto rumo a Nova York, onde Emily acaba de terminar o namoro, e como até um pouco clichê eles se reencontram e desencontram inúmeras vezes, até que o destino coloca eles na mesma página.

Mas o que eu gosto mais desse filme, é os personagens em si, Emily é FORTE, temperamental, extrovertida e totalmente divertida, já Oliver, é estupidamente desastrado e até um pouco lento para “pescar” as coisas e acho que isso que me faz gostar tanto do filme, porque é leve! O romance entre eles é leve, Oliver erra tantas vezessssss, e faz tantas coisas bobas para conquista-la, como fazer uma serenata cantando Bon Jovi, e Emily é tão teimosa as vezes! Mas vivem um amor leve, divertido, e é exatamente isso que quero para mim.

Hanna Carolina, Mundinho da Hanna: Planeta do Tesouro

maxresdefault (1)

Meu filme favorito é uma animação na realidade. Ele se chama ‘Planeta de Tesouro’, da Disney. É baseado no clássico ‘A Ilha do Tesouro’ e eu curto bastante, assisto quantas vezes passar na TV. Não apenas a história, mas as músicas estão no meu celular e de vez em quando me pego ouvindo… e cantando também… rsrs

Ele significa muito para mim, lutar pelos meus sonhos, mesmo que todos digam que são infantis ou imaturos. A música tema também fala sobre isso, sobre ser você e não se importar com o que dizem sobre o que você pensa, afinal, seu futuro depende de suas ações e não de terceiros. É uma história de aventura, mas também uma lição de vida que carrego comigo pro resto da vida.

Clíscia Ramos, Clíscia Make Up: Harry Potter e a Pedra Filosofal

cinemascope-harry-potter-e-a-pedra-filosofal-620x330
Foto: Reprodução/Cinemascope

Um filme que marcou muito a minha infância foi Harry Potter e a Pedra Filosofal. Eu assistia muito quando criança, tinha gravado em fita e passei muitas tardes vendo ele. Toda vez que penso nele me recordo da minha infância na casa dos meus avós, vendo tv, comendo miojo. Já vi todos os filmes da série, mas pelas lembranças da infância que o primeiro me traz ele é meu predileto.

Já o meu filme favorito é…

cv5plcyxyaak9ov_9313634
Foto: Reprodução/Debatemx

Já falei que essa é uma decisão muito difícil e que tenho vários filmes que guardo aqui no peito e amo de paixão? Mas como prometido, meu escolhido foi O Fabuloso Destino de Amélie Poulain… Ah, como sou apaixonada pela história, trilha, fotografia, direção, personagens, Paris, tudo que tem nesse filme me arranca um suspiro. É meu remédio para dias ruins, minha dose de inspiração e meu xodó.

A simplicidade que a Amélie tem em enxergar e viver a vida, o certo receio que ela supera em enfrentar algumas situações do cotidiano me cativam demais. E o que falar da frase que é até estampa da minha “brusinha” preferida? “São tempos difíceis para os sonhadores”… E como são difíceis…

A Cabana e o fazer justiça com as próprias mãos

A Cabana e o fazer justiça com as próprias mãos

Mack é pai de família. Tem uma esposa religiosa, dois filhos adolescentes e uma menina pequena. Ambos formam a família tradicional que frequenta a igreja todo domingo. De início confesso que fiquei um pouco desanimada, imaginando que toda essa tradicionalidade acabaria me deixando em tédio. Mas o filme conseguiu me fisgar fazendo com que eu abaixasse a guarde e deixasse meus preconceitos de lado. Sim, eu tenho minha fé assim como também tenho um lado cético. Costumo dizer o famoso ditado de que “Jesus é maneiro, o que ferra é o fã clube dele” e é esse fã clube que faz a palavra religião parecer um veneno.

filme-a-cabana-009
Foto: Reprodução/Veja

“Religião. A religião é muito trabalho. Eu não quero escravos. Quero amigos, família para compartilhar a vida.” 

Mas gosto de pensar que o filme não é sobre religião, apesar de abordarem o lado cristão da coisa toda, é uma história sobre fé. Mack (Sam Worthington) teve uma infância não muito feliz com um pai que enchia a cara e batia na mãe e nele. Deixar o passado para trás nem sempre é fácil, mas ao conseguir construir uma linda família ele fora capaz de seguir em frente.

Até ter sua filha mais nova assassinada brutalmente. Sem nem ao menos ter o corpo para um velório, tendo que lidar com as evidências de que além de assassinada a pequena Missy também fora estuprada, Mack se torna sombrio e se afasta de todo o restante da família. Mas um bilhete é entregue para mudar essa história e ele retorna a cabana onde encontrou as provas de que sua filha havia sido morta.

“Não importa o que você está fazendo. Você nunca tem que fazer isso sozinho.”

a-cabana-jesus-agua-filme
Jesus (Aviv Alush) e Mack (Sam Worthington) prestes a clássica cena do andar sobre as águas. Refletindo sobre as dificuldades que encontramos na vida e como não temos que enfrentá-las sozinhos. Foto: Reprodução/Veja

A escolha dos atores para cada personagem, até mesmo cada personagem que fora criado no livro escrito por William Young, tudo é perfeitamente perfeito. E me desculpem a redundância. Mas Jesus sendo interpretado por Aviv Alush? A cena dele e Mack andando pela água? Essa coisa de como Deus é quem precisamos que ele seja, a figura de um pai, de uma mãe, colocando a maravilhosa Octavia Spencer vivendo um Deus que gostaríamos muito de conversar e cozinhar? Ficou maravilhoso!

É sobre perdão, redenção e fé mesmo nas circunstâncias ruins. Em certo ponto eu me senti incomodada com toda a questão de deixar a vontade de Deus seguir seu percurso e isso só me mostrou como estamos cada vez mais tentados as justiças feitas com nossas próprias mãos. É complicado. Algumas críticas a respeito do filme abordam que a proposta não gera discussão, que é apenas mais uma propaganda cristã, mas fico me perguntando se elas permitiram que o filme a tocassem ou se começaram a assistir com suas críticas já feitas.

filme-a-cabana-008
Mack e Deus, que é interpretado por Octavia Spencer fazendo você querer fazer parte dos diálogos que aconteciam entre ambos. Foto: Reprodução/Veja

“E há bilhões como você… Cada um determinando o que acha que é bom e mal. E quando o teu bom conflita com o mal do teu próximo, procuram argumentos. As guerras explodem. Porque todos insistem em brincar de Deus.”

Incomoda o perdão de Mack. Incomoda não vermos a justiça do homem sendo feita. Mas precisamos tirar essa ideia de que somos nós quem devemos punir. O que é justiça para mim, nem sempre será justiça para o próximo. Imagine como seria se cada um de nós, sem exceção, parasse de sentir-se no poder de julgar alguém, prejudicar alguém…

Eu sei, é difícil simplesmente abandonar esse sentimento de raiva, essa sede por vingança que sempre sentimos diante de injustiças, digo isso por mim, que até hoje não entendo como pessoas boas sofrem nas mãos de pessoas ruins. Acredito que esse tenha sido o ponto que incomodou tanta gente, não é uma tarefa fácil aceitar que nem tudo está em nossas mãos. Mas se desprendermos um pouco dessa questão do que é certo e do que é errado, entenderemos que o filme é justamente para gerar esse debate da sede de violência que estamos sentindo com uma força cada vez maior e de como ela não nos levará para um lugar melhor do que esse que encontramos hoje nos jornais.

Assista ao trailer:

O filme ainda está disponível em alguns cinemas*

Post fora de quinta: Versatile Blogger Award

Post fora de quinta: Versatile Blogger Award

versitle-blogger-1Bom dia, boa tarde e boa noite, gente, estou participando de um projeto e com isso conhecendo e fazendo novas amizades com outros blogueiros, quero que saibam que nas próximas semanas surgirão por aqui alguns posts fora das categorias de quinta que semanalmente costumo postar, como o de hoje.

Fui nomeada ao The Versatile Blogger Award pela Mi do Michellandia e pela Ju do Descomplica os 30. Sabem o que isso significa? Significa que meu conteúdo conseguiu alcançar a admiração delas a ponto de me colocarem em suas listinhas de 15 blogs favoritos. Lindo, né? Além disso estarei indo para o blog oficial do Versatile, mas para isso eu preciso seguir algumas regrinhas que eles mesmos criaram, então vamos lá…

  • Agradeça à pessoa que lhe deu este prêmio

Como disse no início, fui indicada pela Mi, do Michellândia e pela Ju, do Descomplica os 30. Estou muito feliz pela indicação. É sempre gratificante quando nosso conteúdo consegue alcançar alguém, né? Infelizmente não posso indicá-las na etapa abaixo, mas quero agradecer pela nomeação. O blog da Mi é a minha dose de coragem que venho tomando aos poucos para viajar, os posts dela me inspiram. Já a Ju me ajuda a lidar com situações do dia a dia, mesmo ela descomplicando os 30, eu fico tentando descomplicar meus 24 e não sei se ela tá sabendo, mas o conteúdo que produz vai além dos 30. Então meu muito obrigada pela admiração e carinho das duas, é recíproco ❤

Segredo Sujo

O verdadeiro significado de blogar encontro no Segredo Sujo. Lembra quando utilizávamos os blogs como diários? Colocando nossos relatos, sentimentos, medos, inspirações, sem ser nessa forma padronizada que estamos acostumados a postar hoje em dia? Amo os posts da Jey porque sei que lá é tudo tão verdadeiro que me sinto em casa.

Dani que Disse

Eu amo o blog da Dani! Ela fala de tudo um pouco e as feminices que ela posta são dicas valiosas, meninas! Vocês não podem ficar sem seguir, foi lá que eu descobri que o shampoo amarelo da Johnson’s Baby  tem 1001 utilidades. Sério, leiam esse post aqui.

Vai Sem Medo

Acompanho o Vai Sem Medo já tem um tempo e sou apaixonada. A categoria “Comer é viajar” é a minha preferida, adivinhem por quê? Conhecer os diferentes pratos que são servidos mundo a fora faz bem pro coração, pode perguntar, porque me sinto bem demais depois que leio os posts hahaha. E as fotos são de uma inspiração que vocês não fazem ideia.

Caçadoras de Spoiler

Aqui você pode entrar sem medo que apesar do nome não tem spoiler! São resenhas de livros, filmes, novidades nas séries e unboxing do Turista Literário que gosto de acompanhar semanalmente para me manter informada nesses assuntos que tanto amo.

Fruta Crítica

Apesar da Lídia não atualizar o blog com tanta frequência, estou sempre acompanhando quando ela ressurge por lá. São posts, na maioria, sobre culinária e só Deus sabe o quanto amo me perder em receitas, dicas, fotos de comida, mesmo que eu não vá colocar em prática nada do que esteja vendo.

Explorar-te

Conheci o blog da Amanda recentemente e me apaixonei pela escrita dela. É um cantinho novo, mas os poucos posts que tem me conquistaram, principalmente a resenha de Her. Espero que dessa vez ela fique firme no blog pra eu continuar acompanhando e me encantando.

Lê e Ler

Também comecei a acompanhar a Lê recentemente e acho o layout dela lindo! Todos os detalhes e as fotos que ela mesma tira dos livros são apaixonantes. E suas resenhas geralmente são de livros brasileiros, o que eu achei o máximo! Pois quase sempre estou por dentro dos lançamentos estrangeiros, mas praticamente não acompanho nenhum autor brasileiro. Então já fica a dica para quem estiver mais interesse em conhecer autores e histórias brasileiras.

Jornalismo de Boteco

Não acredito que como futura jornalista fui conhecer esse blog hoje! Na verdade é que nunca tive tempo para ter um feedback de seguidores ou conhecer novos blogs. No Jornalismo de Boteco a gente encontra de tudo, duvido você não se identificar com algum texto. São crônicas de diversos assuntos, como se fosse aquela conversa em fim de noite na mesa de um boteco mesmo.

Vivimetaliun

As fotos e os posts que a Vivi posta são inspiradores, de verdade. Ter um blog no wordpress e não segui-la, não ter as atualizações dele no seu feed? É quase um pecado (que cometi até ontem, então fica a dica para você não fazer a Tati por tanto tempo).

Quero Ser Alice

Eu acho o blog da Alice um dos mais lindos que já vi! Sou apaixonada pelas fotografias de blogs e a maneira como ela registra e seleciona tudo que vai nos posts é linda. São dicas de filmes, livros, wishlists de deixar qualquer um com vontade de fazer uma wishlist…

  •  Finalmente, diga à pessoa que o nomeou 7 coisas sobre si mesmo
  1. Sou a louca das séries, de verdade, estou com cinco séries finalizadas, 21 atualizadas e 23 que preciso colocar em dia SOMEBODY SAVE ME!
  2. Sou ansiosa. Ansiosa do tipo que fica pensando em soluções para situações que eu nem mesmo sei se vão acontecer. Ansiosa ou seria louca? Vamos deixar a pergunta no ar.
  3. Sonho em conhecer Paris e comer uma pizza em Nápoles, a cidade da pizza na Itália. No fundo eu falo isso, mas sonho em conseguir reunir coragem o suficiente para viajar e conhecer uma parte do mundo lá fora.
  4. Não tenho muita certeza com o que vou fazer da minha vida, me formei em jornalismo, mas sigo sem ter noção de como vai ser, onde vou parar, o que eu realmente quero. Quem disse que diploma trás alegria, minha gente?
  5. A certeza que tenho do que quero para minha vida é continuar trabalhando como voluntária. Comecei há um ano atrás em uma casa de repouso para ajudar no meu tcc e sigo até hoje me envolvendo em projetos voluntários buscando ajudar o próximo. Ultimamente estou envolvida no voluntariado com crianças.
  6. Nunca namorei? Sempre dou uma resposta diferente quando me perguntam o motivo de eu nunca ter namorado. Às vezes acho que é medo mesmo de relacionamentos. Outras que não chegou a hora certa ainda. Sim, eu acredito nessas coisas e sei que tudo tem seu tempo. Acho que ainda não é o meu. Então bora pras séries mesmo, né?
  7. Tenho medo de briga. Não é medo, é trauma mesmo. As pessoas costumam se aglomerar quando começa alguma confusão, eu apenas saio correndo e tento ficar o mais longe possível. Não consigo ficar perto, fico nervosa, tremo, é uma situação de doido. Pior que em shows e baladas sempre sai alguma treta perto de mim e aí é o fim, passo a noite toda procurando pelas pessoas com medo delas saírem na porrada e eu levar um soco.

Gente, eu acho que preciso de terapia depois de prestar atenção nesses fatos sobre mim. Que doida, né? Mas é isso. Desculpem fugir do cronograma do blog e espero que tenham gostado. Vale a pena conhecer cada blog que citei, não deixem de acessar depois. Sobre os fatos, bom, não vou providenciar uns cuidados psicológicos.